Você conhece o Azure Information Protection?

Um dos recursos que deve em breve estar disponível é o Azure Information Proctection, o plano é incluir essa feature dentro do EMS (ou do futuro do EMS que falarei em breve hehe).

 

Basicamente, o produto fornece segurança e controles adicionais para e-mails, documentos e dados sensíveis que você compartilha com usuários externos a sua corporação. Nele você cria facilmente rótulos com permissões definidas que reforça a proteção já existente, isso independentemente de onde o documento é armazenado ou com quem é compartilhado.

 

O time de marketing criou um SWAY em português explicando rapidamente do que se trata o Azure Information Proctection e tem um vídeo demonstrando na prática a usabilidade do produto (em inglês):

 

https://sway.com/KtDgdCkdQCeoSUSg

 

Mais informações no site:

 

https://www.microsoft.com/en-us/cloud-platform/azure-information-protection

 

clip_image002

 

Divirtam-se.

 

Álvaro Rezende

MVP Microsoft – Office Servers and Services

Futuro nas certificações em Azure – Participe

Quer colaborar e dizer o que pensa e como deveria ser as certificações Microsoft em produtos Azure? Estou falando dos exames 532, 533 e 534.

 

Foi lançado uma pesquisa curta, onde você pode opinar sobre como essas certificações devem prosseguir evoluindo, se deveria ser relacionado com determinados recursos dentro do Azure, ou se deveria ser baseado em workload.

 

É uma pesquisa simples e rápida (em inglês) e já participei.

 

http://microsoftlearning.co1.qualtrics.com/jfe/form/SV_72GwQB3qYqLQRHD

 

Mais detalhes em:

 

https://borntolearn.mslearn.net/b/weblog/posts/shape-the-future-of-microsoft-39-s-azure-certifications-by-taking-a-2-minute-survey

 

Grande abraço.

 

Álvaro Rezende

MVP Microsoft – Office Servers and Services

Azure AD Authentication disponível para Azure Databases.

Olá pessoal, uma feature que muitas pessoas esperavam passa a ficar disponível no Azure (em Disponibilidade Geral) que é a possibilidade de poder usar o SQL Azure e SQL DataWarehouse com autenticações do Azure Active Directory e não mais usando apenas logins SQL.

 

Esse recurso vai possibilitar e facilitar migrações principalmente de SQL em cenário on premise para uso no SQL Azure, pois muitos conceitos ainda eram limitados pela necessidade de autenticação, e antes isso tornava todo o desenho bem mais complexo.

 

Mais detalhes você pode ver no link abaixo:

 

https://azure.microsoft.com/en-us/blog/ga-for-azure-ad-authentication-in-sql-database-and-sql-data-warehouse/?wt.mc_id=AID520771_EML_4524657

 

Divirta-se.

 

Álvaro Rezende

MVP Microsoft – Office Servers and Services

Detalhes sobre storage no Azure – Saiba mais…

Olá pessoal.

 

É sabido principalmente para quem é de infraestrutura e está trabalhando com Azure, uma das principais dificuldades está relacionado a storage.

 

E isso é um dos itens que impacta diretamente em performance.

 

Segue abaixo um link com detalhes de cada modalidade de storage (e só nesse quesito temos 5 tipos), para que se destina, diferenças e preços (estimados)

 

https://azure.microsoft.com/en-us/pricing/details/storage/

 

Enfim, tudo que você precisa saber sobre storage no Azure.

Bom divertimento.

 

Álvaro Rezende

MVP Microsoft – Office Servers and Services

Limites no Azure – Você sabe quais são?

A dica do dia para hoje é: Limites no Azure.

 

Muita gente está se deparando agora com desenhos no Azure, principalmente no ponto de infraestrutura e me deparo com dúvidas sobre limites, quantidades e best pratices.

 

Tem um link (que uso bastante e segue abaixo) que explica nos detalhes sobre todos os limites no Azure, considerando todos os itens.

 

https://azure.microsoft.com/en-us/documentation/articles/azure-subscription-service-limits/

 

Boa leitura e bom estudo.

Abraços.

 

Álvaro Rezende

MVP Microsoft – Office Servers and Services

RemoteAPP não está mais no Azure :(

É pessoal, a notícia é essa mesmo. A Microsoft decidiu descontinuar a solução de RemoteApp no Azure.

Não ficou bem claro o real motivo, mas a solução era bem interessante, porém eu já desconfiava que tinha algo errado pelo grande tempo que ela ficou em “Preview Mode”.

 

Detalhes:

http://bit.ly/2bA0r0o

 

Me parece que por questões estratégicas (ou técnicas – vai saber né), a Microsoft decidiu remover o produto de disponibilidade imediata e recomendar para que clientes que precisem de publicação no modelo que estava sendo feito no Azure, use o XenExpress (da Citrix).

 

Isso mostra uma parceria estreita entre Microsoft e Citrix que devemos observar os aconteceres dos próximos capítulos:

 

https://blogs.technet.microsoft.com/enterprisemobility/2016/08/12/application-remoting-and-the-cloud/

 

Agora vamos focar no técnico:

* Se você tem aplicações publicadas no RemoteApp, terá 1 ano para migrar e já pode começar a planejar isso imediatamente. Novas aquisições já não são mais possíveis.

* Se você estava no meio de um desenho de cenário com RemoteApp, considere usar opções de terceiros (como o da Citrix por exemplo) ou usar cenários IAAS com RDS Session Host da maneira tradicional.

 

Segue um link que fala sobre arquitetura de RDS em IAAS no Azure que pode ajudar:

https://technet.microsoft.com/en-us/windows-server-docs/compute/remote-desktop-services/desktop-hosting-reference-architecture

 

Ponto Importante:

O licenciamento de RDS no Azure não é convencional. Você precisará licenciar o RDS em SPLA ou estender a sua licença para o Azure (mobility option) se tiver o SA.

Não é permitido a compra de RDS CAL da mesma maneira que em cenário on-premisse. Isso é muito importante.

 

Oremos rsrs…

 

Álvaro Rezende

MVP Microsoft – Office Servers and Services

Default collection no SQL Azure – Você sabe qual é?

Hoje me questionaram qual é a default collection no SQL Azure Databases e sobre a possibilidade de usar uma não tradicional.

 

Bem a resposta é simples, mas pouca gente conhece, a Collection Default é a  SQL_Latin1_General_CP1_CI_AS porém você pode definir uma collection diferente quando você quiser seus objetos/queries.

 

Segue abaixo um arquivo explicativo sobre esse item:

https://azure.microsoft.com/en-us/blog/working-with-collations-in-sql-azure/

 

[]’s

 

Álvaro Rezende

MVP Microsoft – Office Servers and Services

Conheça o ATP no Office 365 – Advanced Threat Protection

Segue abaixo o link que foi divulgado para parceiros sobre o ATP no Office, essa nova funcionalidade é bem legal e pode complementar ainda mais quem já tem a proteção do Exchange Online.

 

Proteção Avançada Contra Ameaças (ATP) do Microsoft Exchange Online é um serviço de filtragem de e-mails baseado na nuvem que ajuda a proteger sua organização contra vírus e malware desconhecidos, fornecendo proteção robusta de dia zero e inclui recursos para proteger sua organização contra links prejudiciais em tempo real. O ATP tem recursos avançados de geração de relatórios e rastreamento de URLs que fornecem informações aos administradores sobre os tipos de ataques que ocorrem na organização.

 

No link abaixo há uma breve descrição e um vídeo (em inglês) sobre uma das features do ATP:

https://docs.com/updates-2u/5506/office-365-advanced-threat-protection-atp?c=NDKxKV

 

Se quiser saber mais sobre o produto, veja o site (em português):

https://products.office.com/pt-BR/exchange/online-email-threat-protection?omkt=pt-BR

 

Descrição técnica:

https://technet.microsoft.com/pt-br/library/exchange-online-advanced-threat-protection-service-description.aspx

 

Álvaro Rezende

MVP Microsoft – Office Servers and Services

Realizando exames via Proctored Mode – VUE

Bom, há mais de 10 anos eu já realizo exames de certificação Microsoft, na verdade quase 15 rsrs, mas foi a primeira vez que realizei um Proctored Exam, e minha experiência não foi legal não, e decidi criar um post justamente para compartilhar isso…

 

A opção de Proctored Exam não é novidade, e passou a ser possível desde que a Microsoft parou de realizar exames via Prometric e voltou para VUE (há muitos anos atrás tinha a opção de VUE ou Prometric, depois ficou só Prometric e agora só VUE).

 

A idéia do Proctored Exam via VUE é de você poder realizar o exame da sua máquina na sua casa ou escritório, e não precisar ter que se locomover para um centro de Exame oficial, a ideia é bem boa, principalmente para quem está distante ou quer algo mais prático.

 

Porém o exame é monitorado por uma pessoa remotamente, que fica vendo você realizar o exame (via webcam do seu computador – item obrigatório). Antes do exame começar é feito uma checagem e validação do local onde você irá fazer o exame, com o objetivo de tornar o exame o mais seguro possível e evitar fraudes. Foi aí que veio a experiência ruim.

 

·         Você pode realizar o exame 30 minutos antes do horário marcado até 15 minutos após o horário marcado. Isso é um ponto positivo.

·         Você inicia a prova e aguarda a validação do seu ambiente (é importante realizar os testes antes para garantir que sua máquina atende os pré-requisitos, pois é necessário instalar um client para a realização da prova). Então tenha certeza de que é admin da máquina. Tem um procedimento que você consegue simular antes, é um ponto positivo também.

·         Após isso você aguarda a “bendita” validação do ambiente, um atendente da VUE te chama via aplicação e começa o processo (é uma ligação + chat). Um ponto importante é que toda ligação é em inglês, o que não foi exatamente um problema para mim, mas para quem não entende inglês pode ser um sério complicador.

·         A validação em si, no meu caso foi bem complicado. O atendente foi extremamente rígido, por exemplo, tive que tirar tudo da mesa (incluindo mouse e minha garrafa d’água), ele pediu para fechar cortinas, fechar a porta, olhou os bolsos, pediu para tirar a luminária e todos os itens abaixo da mesa, reclamou do quadro de energia na parede, tive que tirar até o carregador do celular que estava plugado na tomada, entre outras coisas.

·         É necessário validar em 360 graus o ambiente, inclusive o teto e o piso. Ele reclamou da lâmpada que está instalada aqui em casa (fiz o exame da minha casa). Pediu inclusive para eu remover monitores e impressoras que estavam do outro lado da cômodo, para fora da vista do exame, e disse q eu não poderia em nenhum momento ler as questões em voz alta (até aí normal).

 

O processo levou 40 minutos (pois tive que ajustar muita coisa) até eu conseguir ter aprovação dele para iniciar o exame, já estava meio chateado com tamanha exigência, e isso pode de certa maneira afetar quem está nervoso ou ansioso para o exame (em especial os mais inexperientes).

 

Não sei se foi um procedimento padrão, ou se foi um azar de cair um analista extremamente rígido, mas a experiência ficou aquém do que eu imaginava e por fim, na minha opinião fazer o exame em centro técnico é bem mais simples e menos desgastante, a não ser claro que seja inviável, lá você só chega e faz (sem nenhum mimimi).

 

Enfim resolvi fazer esse post, para deixar alerta quem pretende usar esse modo para certificação, esteja preparado (e com paciência em dia rsrs).

 

 

Álvaro Rezende

MVP Microsoft – Office Servers and Services

Certificação Azure – Review 70-533 (Implementing Microsoft Azure Infrastructure Solutions)

Como o foco da Microsoft virou 100% pra Azure, aproveitei para realizar uma prova de certificação e poder assim falar um pouco sobre certificações também em Azure.

 

Então agendei o exame 70-533 – Implementing Microsoft Azure Infrastructure Solutions e realizei na última sexta.

 

Segue abaixo um quick review da minha experiência com o exame:

1 – O exame não é fácil (e realmente achei isso muito bom), não é para aventureiros, você precisará ter mesmo experiência com Azure, em especial com comandos powershell, pelo que acompanhei em blogs o nível da prova subiu pós atualização.

2 – Conhecimento de infraestrutura é importante aqui, principalmente com foco em cenários híbridos e migração.

3 – O exame sofreu uma atualização no dia 01 de julho, portanto já está considerando quase todas as questões em cenário ARM, cenário Clássico (ASM) apenas com foco em migrações e coexistência com o ARM.

4 – O exame é bem técnico, bem técnico mesmo, e é importante conhecer Storage, Rede, AD Azure, SQL Azure e Web APPs no Azure. Precisa de um mix aqui.

5 – O tempo da prova foi de aproximadamente 2:30 horas e foram 45 questões.

 

Detalhes do exame você pode encontrar no link abaixo:

https://www.microsoft.com/pt-br/learning/exam-70-533.aspx

 

Tópicos cobrados:

  • Implement Web Sites
  • Implement Virtual Machines
  • Implement Cloud Services
  • Implement Storage
  • Implement Azure Active Directory
  • Implement Virtual Networks

 

Felizmente fui aprovado e essa foi a minha certificação n. 30 em tecnologias Microsoft J.

 

clip_image002

Abraços.

 

Álvaro Rezende

MVP Microsoft – Office Servers and Services